top of page
  • Foto do escritorEquipe Build

Catálogo de Produtos: qual estratégia meu Marketplace deve construir?



catalogação de produtos em marketplace
Exemplo de Produto Catálogo

Muitas vezes deixado em segundo plano e subdimensionado em uma operação de E-commerce ou Marketplace, o processo de catalogação de produtos é crucial para garantir uma experiência de compra eficiente e atraente para os clientes da sua plataforma.


Em um cenário onde as grandes plataformas de Marketplaces possuem milhões de SKUs, é necessário desenvolver e estruturar uma estratégia para essa frente de trabalho. Afinal, a catalogação de produtos impacta:


o   Categorização/Taxonomia;

o   Exposição de sortimento;

o   Busca + Filtros;

o   Coleções de Navegação;

o   SEO;

o   Mídia/APIs;

o   CRM;

o   Motores de Recomendação e Cross Sell;


Resumindo: o cadastro do produto é o mais próximo que um e-commerce pode chegar do “touch & feel” dos SKUs, ou seja, aquela abordagem que loja física dá que os canais digitais não podem oferecer. Além disso, do que adianta você prospectar e negociar com dezenas/centenas de Sellers e os produtos não estarem facilmente “encontráveis” na sua plataforma?

 

Por isso, a importância de você definir uma estratégia que leve em conta alguns fatores:


 

Tipo de Marketplace


Sua plataforma será uma generalista com muitas categorias ou focada em algum nicho? Lojas que são mais generalistas tendem a ter uma quantidade de SKUs muito maior, o que demanda que sua abordagem deva ser focada na escalabilidade do processo.


É muito comum em grandes Marketplaces que a catalogação de produtos vire o “gargalo” da operação. Isso ocorre porque o time Comercial está focado em trazer Selles/SKUs e não se pensou em como garantir que o conteúdo seja processado de maneira ágil e eficiente.


Marketplaces de Nichos costumam apostar em ter um conteúdo de produtos mais aprofundado, o que requer uma curadoria maior nessa frente.

 


Responsável pelo Esforço


Marketplaces mais consolidados como Amazon e Mercado Livre dão a responsabilidade toda em relação ao conteúdo para os seus Sellers, através de ferramentas e interfaces que facilitam essa frente.


Porém, plataformas que ainda estão em fase de ganho relevância acabam por internalizar e não gerar esse esforço para seus Sellers. Se esse for o seu caso é importante você se estruturar e definir quais conteúdos mínimos os Sellers precisam enviar.

 


Informações Mínimas


Um dos pontos a definir é quais informações mínimas o Seller precisará te enviar para que o produto seja disponibilizado. Nesse momento sempre entra em ação o dilema Escalabilidade versus Qualidade do Conteúdo.


Minimamente, ele precisará te enviar:


- EAN ou código do produto;

- Nome do produto;

- Descrição do produto;

- Imagens – aqui é importante definir a resolução que ela será enviada (usualmente se usam imagens quadradas em 1.000px x 1.000px, por exemplo).

 

A categorização e os atributos que a sua plataforma considera obrigatório o preenchimento (marca e cor, por exemplo) podem ser enviados pelo Seller ou preenchido pelo seu time. Leve em conta como o processo está estruturado na sua operação.


 

Equipe e Processos


Se a sua operação tem tanto sortimento 1P quanto 3P, uma decisão que precisará tomar é se a catalogação será centralizada ou se serão times distintos que trabalharão.


Se você optar em centralizar tudo em uma equipe, isso traz prós e contras:


- Prós: seu time de Catálogo enxergará o seu sortimento completo, você pode diluir custos de operação, foco dedicado ao sortimento 3P.


- Contras: possível dispersão de atenção com o sortimento dos Sellers (sobretudo dos menores), chances de aumento no SLA de subida de SKUs.


É extremamente importante definir como será o processo de catalogação dos produtos, levando em conta toda a estratégia adotada e observando também as possibilidades/restrições que seu Seller Center e plataforma de e-commerce têm. Clique aqui para ver como construir processos eficientes em seu Marketplace.

 


Dicas finais da BUILD


  • Novas categorias: com a subida de Sellers, começarão a aparecer SKUs de categorias que ainda não possuem produtos ativos no seu catálogo. Dedique a atenção (parcialmente ou integralmente) de algum membro do time para mapear e criar essas novas categorias na sua plataforma. Isso impedirá que SKUs fiquem na fila e que você nunca finalize o onboarding de um determinado Seller;


  • Automatização: existem ferramentas e soluções que visam automatizar a categorização e o preenchimento de atributos da ficha técnica. Procure por soluções e encaixe no seu ecossistema para que você tenha mais agilidade e menos custos na operação de Catálogo;


  • Matching: esse é um processo especialmente importante para o Marketplace e que merece uma atenção especial. O processo de matching agrupa ofertas de um mesmo SKU em apenas uma página de produto, mostrando diversos Sellers (3P ou 1P) que estejam vendendo o mesmo EAN. Diversas ferramentas também auxiliam na automatização nesse processo;


  • Invista tempo e discuta com outras áreas o dilema “Escalabilidade versus Qualidade”: antes de decidir a estratégia a ser implementada, converse com os times de Marketing, Growth e Comercial sobre os impactos dessas decisões e mostre a eles quais as consequências e como cada etapa será desenvolvida. Essa decisão “colegiada” deve atender a estratégia da sua operação e garantida no dia a dia.

 


Conclusão


A catalogação de produtos é um processo fundamental para o seu Marketplace. Tenha uma estratégia, busque soluções e, acima de tudo, adapte-a à estratégia da sua operação.

Acredita-se no mercado que essa frente será profundamente impactada pela evolução da Inteligência Artificial em um futuro próximo.


A equipe da BUILD pode te ajudar na construção dessa estratégia, no desenho dos processos, na recomendação da estrutura, escolha dos parceiros e muito mais. Entre em contato com o nosso time e vamos construir juntos.


Commentaires


bottom of page