top of page
  • Foto do escritorEquipe Build

Marketplace de Serviços: conceito, oportunidades e formas de monetização


marketplaces de serviços

Marketplaces são modelos de negócio baseados no conceito de plataforma, na qual existe uma parte ofertando e outra parte consumindo, sendo toda essa interação administrada por uma empresa. Exemplo: em empresas de mobilidade como Uber ou 99, os motoristas estão ofertando e os(as) passageiros(as) estão consumidores, tudo isso sendo intermediado pela plataforma Uber/99/Cabify/Indrive/BlabLaCar.  Isso funciona tanto para produtos (como no varejo) quanto para serviços.


Os Marketplaces de serviços emergiram como uma tendência dominante no cenário empresarial, oferecendo oportunidades incrementais para empresas e profissionais independentes. Esse modelo de negócios proporciona uma plataforma centralizada onde compradores e vendedores de serviços podem se conectar de forma eficiente, resultando em benefícios mútuos e crescimento exponencial.


]Seja no B2C ou no B2B, o modelo de negócios de um marketplace de serviços cria uma rede de colaboração, permitindo que empresas, freelancers ou autônomos ofereçam seus serviços de maneira mais ampla, enquanto os consumidores podem acessar uma variedade de opções em um único local. Essa abordagem facilita a busca por serviços específicos, promove a concorrência saudável e oferece conveniência aos usuários que buscam soluções para suas necessidades.


Diversos segmentos podem se beneficiar dessa modalidade e listamos alguns dos exemplos de sucesso:


- Mobilidade: Uber - hoje é a grande plataforma de transporte em milhares de cidades ao redor do mundo. A Uber conecta milhões de passageiros à motoristas independentes, tudo fazendo parte de um grande Marketplace de serviços;


- Turismo: Booking.com - conhecido como um site de reservas de acomodações, a plataforma atua como um intermediário entre os viajantes que procuram serviços de hospedagem (hotéis, pousadas, apartamentos, etc.) e os estabelecimentos que oferecem esses serviços. Esses estabelecimentos (sellers) cadastram suas propriedades (ofertas) e recebem a demanda gerada de maneira centralizada pelo Marketplace;


- Prestação de Serviços: GetNinjas - mais um na modalidade B2C, o GetNinjas é um dos maiores Marketplaces de serviços do Brasil, permitindo que usuários encontrem profissionais qualificados para uma ampla gama de necessidades, desde pequenos reparos domésticos até profissionais de saúde e beleza;


- Saúde: Doctoralia - Marketplace que une pacientes a profissionais de saúde, permitindo a busca por especialistas, o agendamento de consultas e compartilhamento de avaliações;


- Solução para gestão: Smarket - Marketplaces de serviços também podem ser B2B, o Smarket oferece uma plataforma que auxilia empresas na gestão de compras corporativas, desde a cotação até a conclusão do pedido;


- Agro: Agrofy – outro exemplo de Marketplace B2B, o Agrofy conecta produtores rurais a fornecedores de insumos, máquinas agrícolas e serviços relacionados ao setor.


Esses são exemplos de alguns dos segmentos que podem se beneficiar de um Marketplace, tanto com intuito de atender consumidores finais (B2C) quanto com a finalidade de conectar negócios (B2B).



Como Marketplaces de Serviços geram receitas?


Os Marketplaces de serviços geram receitas por meio de diversos modelos de monetização, adaptados às características específicas de cada plataforma. Algumas das estratégias mais comuns incluem:


Taxa de Transação

Muitos Marketplaces cobram uma taxa sobre cada transação concluída na plataforma. Essa taxa é geralmente uma porcentagem do valor total da operação e pode variar dependendo do tipo de serviço.


Assinaturas ou Mensalidades:

Alguns Marketplaces oferecem planos de assinatura para prestadores de serviços, permitindo acesso a recursos adicionais, maior visibilidade na plataforma ou a remoção de taxas por transação. Além disso, alguns modelos cobram mensalidades dos consumidores para acesso a benefícios exclusivos ou descontos.


Taxa de Listagem ou Adesão:

Alguns Marketplaces cobram dos prestadores de serviços uma taxa de listagem ou adesão para que possam oferecer seus serviços na plataforma. Essa taxa pode ser única ou recorrente.


Publicidade e Promoção Paga:

Oferecer espaços publicitários privilegiados, destaque nas buscas ou promoção de serviços em destaque são maneiras de gerar receitas. Os prestadores de serviços podem pagar por esses serviços para aumentar sua visibilidade na plataforma.


Comissões Diferenciadas:

Algumas plataformas aplicam comissões diferenciadas com base no desempenho ou nível de sucesso do prestador de serviços. Por exemplo, taxas menores para profissionais que alcançaram um determinado volume de transações ou receberam avaliações positivas.


Parcerias e Programas Afiliados:

Estabelecer parcerias com empresas relacionadas ou criar programas afiliados pode ser outra fonte de receita para os Marketplaces de serviços. Isso envolve receber uma comissão por cada transação gerada por meio de links ou indicações externas.


Serviços Premium ou Extras:

Alguns Marketplaces oferecem serviços premium ou extras que os prestadores podem oferecer por um custo adicional. Isso pode incluir opções como entrega expressa, serviços personalizados ou funcionalidades avançadas.


Essas estratégias variam de acordo com o modelo de negócios e o público-alvo do Marketplace de serviços. Muitas vezes, uma combinação de diferentes fontes de receita é implementada para garantir a sustentabilidade e o crescimento contínuo da plataforma.



Se interessou em estruturar um Marketplace de Serviços? Veja aqui como construir a sua plataforma


A equipe da BUILD já atuou em diversos segmentos de serviços: turismo, educação, entre outros, e pode te ajudar desde a fase de estruturação até os ganhos de escala com estratégias de Growth. Entre em contato conosco.


Comentários


bottom of page